Medidas a Adotar por Estafetas Perante a Pandemia CoviD-19

PorAngela Leal

Medidas a Adotar por Estafetas Perante a Pandemia CoviD-19

Os estafetas são um dos grupos de profissionais expostos perante a situação que o país e mundo atravessa.

Neste sentido preparamos uma sensibilização que irá ajudar estes profissionais a adotar medidas de prevenção.

NOS ESTABELECIMENTO DE PREPARAÇÃO DE REFEIÇÕES

PROTOCOLO PARA ESTAFETAS

Os estafetas são um ponto de contacto, neste sentido é bastante importante ter cuidados redobrados de forma a evitar a entrada do vírus nas instalações, assim como a transmissão do vírus aos clientes.

MEDIDAS NOS LOCAIS DE RECOLHA

  • Disponibilidade de soluções à base de álcool para desinfeção das mãos para todos os estafetas;
  • Afixar nos pontos de recolha das encomendas cartazes ou folhetos promovendo boas práticas e as orientações da Direção-Geral da Saúde;
  • Providenciar um local de recolha e a colocação de uma bancada de recolha de forma a proceder à entrega do produto;
  • Assegurar a desinfeção das superfícies de recolha a cada recolha:
  • Assegurar a limpeza e desinfeção dos locais de recolha várias vezes ao dia;
  • Monitorizar a temperatura dos estafetas com um termómetro sem contacto, de forma a identificar mais rapidamente eventuais sintomas de febre;
  • Assegurar o afastamento do estafeta durante a entrega do produto.

MEDIDAS A ADOPTAR PELOS ESTAFETAS

Os estafetas devem ter os seguintes cuidados aquando da deslocação:

  • Nos 14 dias após o regresso ou passagem por zonas infetadas ou se tiveram contacto com pessoas infetadas deverão promover o distanciamento social e não deverão deslocar-se às instalações de recolha de produtos ou aos locais de entrega de encomendas.

VIGIAR O APARECIMENTO DE SINTOMAS

  • Vigiar aparecimento de sintomas (febre ou tosse ou dificuldade respiratória), medindo a temperatura 2 vezes por dia.
  • Os profissionais que manifestam sintomas de infeção respiratória (tosse, febre ou dificuldade em respirar) não devem apresentar-se ao serviço;
  • Casos sejam identificados sintomas como febre, tosse ou dificuldade respiratória, ligar para SNS24 - 808242424 e seguir as recomendações.

RECOMENDAÇÕES GERAIS

  • Cumprir as medidas de higiene das mãos e etiqueta respiratória, ao espirrar ou tossir devem tapar o nariz e a boca com o braço ou com um lenço de papel que deverá ser colocado imediatamente no lixo;
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos;
  • Promover o arejamento frequente do veículo através da abertura das janelas, nas situações que o veículo apresenta cabine;
  • Manter a distância mínima de 2m de forma a evitar o contágio;

EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL

  • Utilizar máscara sempre que se encontre fora do veículo.
  • Uso de luvas descartáveis de forma a evitar contágio através de objetos, o uso de luvas não elimina a necessidade de lavar ou desinfetar as mãos;

  • O estafeta deverá, sempre que possível, lavar as mãos com água e sabão, por exemplo, quando entrar num estabelecimento para recolha de encomendas. Não sendo possível lavar as mãos com água e sabão, deverá desinfetá-las com solução à base de álcool ou com toalhitas desinfetantes, sempre que:
    • Entregar uma encomenda, antes e depois da entrega;
    • Trocar de luvas;
    • Várias vezes ao dia, sempre que se justifique.

REFORÇAR AS BOAS PRÁTICAS DE LIMPEZA E DESINFEÇÃO

DETERGENTES

Para lavar as superfícies pode usar-se detergentes de uso comum, com caraterísticas desengordurantes.

DESINFETANTES 

Para desinfeção de superfícies a Organização Mundial de Saúde (OMS) aconselha o uso de solução de hipoclorito de sódio numa concentração de pelo menos 5% de cloro livre, e álcool a 70%.

HIGIENIZAÇÃO DAS SUPERFÍCIES QUE ENTRAM EM CONTACTO COM PROFISSIONAIS E ENCOMENDAS

Desinfetar frequentemente com solução à base de álcool, ou com toalhitas desinfetantes, o volante do meio de transporte utilizado;

Assegurar a limpeza e desinfeção frequente dos acessórios utilizados para o transporte das encomendas (ex.: mochilas térmicas usadas no transporte de refeições).

 

PROTOCOLO DE RECOLHAS

  • Garantir recolhas sem contacto;
  • Na recolha da encomenda, o estafeta deve recolher o produto à porta do parceiro e afastar-se para receber a encomenda cumprindo a distância mínima de 2m de forma a evitar o contágio e sem tirar o capacete;
  • No ponto de recolha, deve assegurar que a encomenda se encontra numa embalagem bem fechada e colocada numa superfície especifica para evitar o contacto;
  • Evitar permanecer perto de aglomerados de pessoas.

PROTOCOLO DE ENTREGAS

  • Garantir entregas sem contacto;
  • Na entrega da encomenda ao consumir final, o estafeta deve deixar o produto à porta do cliente e afastar-se para que este possa receber a encomenda cumprindo a distância mínima de 2m de forma a evitar o contágio e sem tirar o capacete;
  • Caso a encomenda seja entrega num prédio, a entrega deve ser realizada à porta do prédio;

REFORÇAR AS BOAS PRÁTICAS DE HIGIENE E SEGURANÇA ALIMENTAR

Segundo a OMS, o principal modo de transmissão do Coronavírus (SARS-CoV-2) é através de gotículas respiratórias e o vírus só pode sobreviver por um curto período de tempo em superfícies inanimadas. Portanto, o risco do vírus persistir nas superfícies dos alimentos durante as fases de transporte e venda é bastante reduzido.

Apesar de não existir evidência de qualquer tipo de contaminação através da ingestão de comida cozinhada ou crua, deve aplicar-se o princípio da precaução e reforçar junto dos colaboradores as boas práticas de higiene e limpeza durante o transporte porque as boas práticas reduzem claramente a concentração de vírus e diminuem eficazmente a probabilidade de contaminação.

Sobre o autor

Angela Leal administrator

Deixar uma resposta